Seis dicas para a boa relação entre avicultor e granjeiro

29/10/2014

Para o consultor em avicultura Valmor Ceratto, mais do que o contrato de trabalho, o dono da granja deve estabelecer com seus granjeiros uma espécie de “contrato moral”. Foi o que ele afirmou durante o Workshop de Avicultura Paranaense, em Foz do Iguaçu. 

Significa não só garantir as boas condições de trabalho, mas também que o funcionário se mantenha motivado. Ele relacionou seis recomendações que considera simples e que podem refletir na rentabilidade do negócio.

1) Fazer a escolha certa: Para Valmor Ceratto, o bom profissional é aquele com “aptidão” comprometido com o bem estar dos animais alojados. “Criação de animais vai além das oito horas. Claro que ele não vai trabalhar as 24 horas por dia, mas deve ter uma atenção especial”. Outro ponto é o avicultor priorizar a contratação de pessoas tipicamente do campo. “É mais fácil preparar tecnicamente quem já tem mais hábito com a lida do campo, normalmente em um faixa etária de 25 a 50 anos.”

2) Conforto: É importante, de acordo com o consultor, que as acomodações para o granjeiro sejam confortáveis para ele e sua família. “Se o tratador receber uma visita na propriedade, ele não deve ter vergonha de convidar para entrar na casa dele. Mexe com a motivação e reflete na produtividade dele.”

3) Rentabilidade: O granjeiro também deve ser estimulado “para que cresça junto com o avicultor e a agroindústria”, diz Ceratto. Uma iniciativa pode ser a bonificação por metas na produção. “Que ela ganhe dinheiro também porque fica entusiasmada e permanece na propriedade. Um dos problemas da avicultura hoje é a rotatividade de granjeiros.”

4) Otimização: Fazer com que o granjeiro consiga cuidar de mais aves de um modo mais dinâmico. Significa, principalmente, planejar a granja de forma organizada. “Onde ele tenha as ferramentas no lugar certo, onde haja entradas e saídas de veículos próximas, para que não precise se deslocar muito do local de trabalho.”

5) Promoção do bem estar: Dar condições ao granjeiro de promover o seu bem estar com a família na sua moradia. “Ter uma hortinha, coisas que podem ser produzidas no sítio. Isso traz valor.”

6) Clareza: o contrato de trabalho tem que ser claro, com total ciência de direitos e deveres de avicultor, granjeiro e agroindústria.

“É a grande oportunidade de crescimento na avicultura brasileira. Tem um custo? Com certeza, mas a rentabilidade é maior”, avalia o consultor. 

Fontes: AviSite/Globo Rural.


Compartilhe