Manejo Pré-Abate: Minimizando Possíveis Perdas Com o Jejum

10/10/2017

O jejum pré-abate é o período em que se inicia antes do carregamento das aves até o abate. É o tempo necessário para que o alimento consumido pela ave possa ser metabolizada e transformada em carne.

É definido como jejum o período em que é retirado a ração, com a finalidade de minimizar a contaminação e perdas no abatedouro.



A ave normalmente se alimenta a cada 4 horas e consome água posteriormente, a fim de solubilizar a ração, entretanto, a velocidade de passagem do alimento no intestino é influenciada pelo período de jejum, já que esse período a velocidade de passagem do alimento pelo intestino diminui.



A retirada simultânea da água e ração de forma incorreta, prejudica a digestibilidade do alimento, pois a água auxilia na passagem do alimento no sistema digestivo.

O período de jejum tem sido amplamente discutido pelos gestores das empresas, variando entre 7 a 11 horas, no entanto, ele se aplica nas melhores condições visando perdas, e é influenciado pela logística e pela distância da granja até o abatedouro, além do tempo de espera na plataforma antes do abate. O tempo exagerado no jejum pode acarretar um aumento no consumo de água, e até ingestão de cama, isso resulta em um aumento na contaminação no abatedouro.





É fundamental que o intestino e o papo estejam vazios no momento do abate, por isso, recomenda que o tempo de transporte seja considerado na definição do tempo de jejum.



Os administradores das empresas têm realizado um trabalho forte e voltado ao jejum pré-abate para que os resultados atinjam uma alta eficiência produtiva como uma boa produção.

Um dos princípios é, os clientes darão preferência aqueles produtos que estão amplamente voltados a qualidade, disponíveis de baixo custo.

Matéria feita por: Delair Del Moura e Adriano Cesar Pereira, Integração Frango de Corte

 


Compartilhe